Pages

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Ideia sobre a origem da cultura


O que nos difere dos demais animais e nos privilegia diante deles? Esse é o questionamento de uma série de estudiosos que buscam entender o processo evolutivo do ser humano e o surgimento da cultura.         
            Uma das primeiras teorias afirma que a cultura tenha surgido no momento em que o cérebro do homem começou a raciocinar e evoluir, porém, por ser uma teoria muito genérica, ainda ficam os questionamentos de como e por que houve essa evolução.           
            Segundo antropólogos, como Richard Leakey, Roger Lewin, David Pilbean e Kenneth P. Oakley, tal evolução se deu através da vida arborícola que instigou os seres a terem a sua percepção alterada de acordo com as suas necessidades de sobrevivência, fazendo com que se adaptassem ao meio em que viviam. Tais adaptações como o aumento do campo de visão ao ficar ereto, descoberta da sensibilidade tátil - que atribuiu significados aos objetos, até então, sem utilidade - fizeram com que sua capacidade cerebral se tornasse mais complexa e evoluída permitindo o desenvolvimento da inteligência humana e início da cultura.          
            A partir do momento em que o primata torna-se homem, começam a surgir teorias contemporâneas, como a de Claude Lévi-Strauss, que considera que o surgimento da cultura se deu com a criação da 1º regra: a proibição do incesto. Neste momento, o homem começa a distinguir o certo do errado, ditando comportamentos e construindo símbolos.          
            Para Leslie White toda cultura depende de símbolos e para interpretá-los é necessário conhecer a cultura que os criou; cultura esta que se consolidou devido a uma evolução lenta e contínua, o que fez com que a teoria do ponto crítico seja descartada. Definitivamente a natureza não age por saltos, a cultura evolui de acordo com o desenvolvimento humano.

Teorias Modernas sobre cultura

Notamos até então que a cultura é formada ou “encarada” como um emaranhado de suposições sobre sua origem, mas vamos deixar seu prefácio de lado e encará-lo de forma atual.
Existem diversos antropólogos fundamentando teorias modernas sobre cultura, e nessa soma, surge uma ideia em comum, a ideia de que a cultura é formada para que possamos nos adaptar ao modo que fomos feitos, e dita um conjunto de regras para a convivência no meio em que nos situamos.
Dentro dessa ideia central, podemos criar três ramificações. A primeira nos mostra a cultura como um sistema de conhecimento, o qual é criado através dos princípios básicos que adquirimos para sobreviver dentro da sociedade em que fomos inseridos. A segunda é encarada como um acumulo de informações adquiridas com o tempo; a soma da arte, vida, linguagem, expressões, entre outros. E por fim, a terceira ramificação, conhecida como “sistema simbólico”, diz que somos adaptáveis para viver em qualquer cultura, porém somos ligados àquela em que primariamente fomos inseridos.
Mesmo com tantas teorias, percebemos que toda cultura é formada através de interpretações próprias, únicas de cada indivíduo, que a transforma de acordo com cada geração que se passa.


Grupo:
Janine Vasques
Juliana Petená
Nívea Cristina
Priscila Soave
Roberto Guissi
Viviana Carvalho


0 comentários:

Postar um comentário